EnglishPortugueseSpanish

Quais são as principais dificuldades encontradas no turismo social?

Home / Blog / Quais são as principais dificuldades encontradas no turismo social?

Quais são as principais dificuldades encontradas no turismo social?

Você gosta de viajar e conhecer novos lugares? E quando viaja, você costuma ser um turista convencional ou já experimentou o turismo social? Talvez você até esteja curioso sobre essa forma de turismo e como ela pode criar experiências transformadoras, mas é importante saber um pouco mais sobre as dificuldades do turismo social antes de fazer as malas e embarcar.

Se for esse o seu caso, fique conosco e dê uma olhada neste material. Ao final da leitura, você conhecerá os principais obstáculos do turismo social e como superá-los.

Vamos lá!

Turismo social e sua importância

O turismo social tem como objetivo ajudar comunidades e pessoas em situação de vulnerabilidade. No momento em que faz suas reservas, o turista social já toma consciência de que, além de conhecer novos pontos turísticos, também vai se engajar em alguma atividade com o objetivo de impactar positivamente a vida das pessoas.

Segundo a Organização Internacional de Turismo Social, fundada em 1963, esse tipo de turismo é de grande importância para o desenvolvimento econômico e social das comunidades, sobretudo por causa de suas ações de cunho pedagógico e humanitário.

Dessa forma, se você deseja ter uma experiência mais imersiva com as localidades que visitar, indo além das visitas a pontos turísticos tradicionais e conhecendo a vida e as dificuldades das pessoas que lá vivem, esse tipo de turismo pode ser uma experiência transformadora.

As dificuldades do turismo social

Agora que você já entende a importância desse tipo de atividade, vamos falar um pouco sobre as dificuldades do turismo social.

Ao procurar por ações sociais que possam ser desenvolvidas na sua próxima viagem, você vai se deparar com algumas dificuldades. Algumas delas serão comuns a qualquer outro tipo de turismo, enquanto outras serão mais características do turismo social.

Vamos cobrir as principais dificuldades que você poderá enfrentar e propor soluções eficientes para contornar esses problemas.

1. Idioma

Embora a língua oficial do Brasil seja o Português, a presença de comunidades de imigrantes em todo o território nacional e a grande extensão de nosso país contribuíram para a criação de uma infinidades de sotaques, cada um com suas gírias e musicalidades próprias.

E por mais que os sotaques sejam expressões culturais que devem ser valorizadas e preservadas, eles podem se tornar um obstáculo quando viajamos, sobretudo ao nos engajarmos em atividades sociais junto a comunidades carentes.

Uma boa solução é adotar uma postura receptiva e curiosa. Procure se expressar de forma clara (mas sem formalismos) e fique atento à expressões locais. Aprender gírias e expressões locais pode ser prazeroso e muito divertido!

Se estiver conhecendo um território indígena, o aprendizado pode ser ainda maior, uma vez que línguas diferentes tendem a ter conceitos e visões de mundo bastante distintas.

2. Clima

Devido seu posicionamento e extensão continental, o Brasil possui uma variedade de climas, indo desde o semiárido até o tropical de altitude.

Se por um lado essa diversidade climática é um banquete para quem deseja expandir seus horizontes, por outro é preciso tomar alguns cuidados ao viajar para outra região. Uma pessoa vinda de Belém, por exemplo, teria grandes dificuldades com o seco de Brasília.

Essas diferenças também tem impacto sobre as ações desenvolvidas no turismo social. Assim, as comunidades ribeirinhas da região Norte, por exemplo, podem sofrer com a dificuldade de acesso a médicos e hospitais. Já no interior do Paraná, com as baixas temperaturas e ocasionais geadas do clima subtropical, as pessoas certamente encontram dificuldades para se manterem aquecidas durante o inverno.

Da mesma forma, comunidades do semiárido nordestino ainda sofrem com a escassez de chuvas e a falta de políticas públicas eficazes, e o turista social poderá se engajar em atividades que ajudem a amenizar esses problemas, seja levando água e alimento às comunidades, seja construindo estruturas para armazenar e racionar a água para períodos de maior escassez.

3. Insegurança

Infelizmente, quando viajamos, nos expomos a uma série de riscos, desde o momento do embarque até o retorno em segurança para casa.

E embora haja uma grande chance de aprendizado todas as vezes em que nos aventuramos fora de nossa zona de conforto, alguns cuidados são necessários para que esses riscos não sejam exagerados.

Desde conhecer bairros perigosos até consumir alimentos que não estejam de acordo com as normas da vigilância sanitária, é preciso prever riscos desnecessários a fim de aproveitar ao máximo sua viagem.

Procurar informação acerca de bairros e localidades perigosas e buscar estabelecimentos com muitas avaliações positivas são boas formas de se proteger fora de casa. Outra opção é contratar um seguro de viagens para garantir a atenção médica necessária onde você estiver.

4. Choque de realidades

Uma das dificuldades do turismo social, mais que do turismo convencional, é o choque de realidades. Embora qualquer contato com uma cultura diferente possa proporcionar uma mudança na forma como vemos o mundo, ao nos engajarmos em trabalhos voluntários nas comunidades que visitamos, nos deparamos com realidades muito diversas das nossas.

Esse choque de realidade costuma ser muito produtivo, uma vez que nos retira da nossa zona de conforto e expande nossos horizontes. Entretanto, se você está enfrentando realidades diferentes pela primeira vez, essa experiência pode ser difícil.

Para amenizar o choque, você pode pesquisar acerca da cultura local, perguntar em fóruns na internet ou mesmo se informar com seu agente de viagens. Uma vez que você sabe o que vai enfrentar, tudo fica mais fácil.

5. Problemas urbanos

Ao visitar uma grande metrópole, é muito provável que você se veja preso em enormes engarrafamentos ou que tenha que enfrentar muita poluição de todos os tipos.

Para contornar esse tipo de problema, o ideal é buscar hospedar-se em um bairro central, com fácil acesso a todos os locais que você pretende visitar. Procure também por hotéis e pousadas que fiquem próximos a estações de metrô, farmácias e bancos.

Além disso, sabemos que comunidades ribeirinhas assentadas próximo a canais e rios se tornam particularmente suscetíveis a enchentes e doenças derivadas da falta de saneamento e do despejo de lixo.

Em seu plano de turismo social, pode ser interessante engajar-se em ações voltadas para essas comunidades, ajudando-as a dar um destino mais adequado ao lixo, preparando as casas para os períodos de chuva ou até mesmo realizando ações educativas junto às crianças da comunidade, por exemplo.

Agora que você já conhece as principais dificuldades do turismo social e como superá-las, que tal dar o próximo passo e programar uma viagem extraordinária? Entre em contato conosco e saiba mais!

0 Compart.

Michel Leão 0Comentário(s)
0 Compart.

© 2018 Todos os direitos reservados

Chronus Viagens e Turismo
Av Diederichsen, 1100 Conj 22 - Vila Guarani (Z Sul)
São Paulo - SP | CEP: 04310-000
Tel.: (11) 2246-2885 / 5011-0635
E-mail: contato@chronus.tur.br