EnglishPortugueseSpanish

Entenda o poder transformador de projetos sociais para jovens

Home / Blog / Entenda o poder transformador de projetos sociais para jovens

Entenda o poder transformador de projetos sociais para jovens

Fazer a diferença na vida de outras pessoas: todos acham a iniciativa linda, mas poucos estão dispostos a se engajar. E isso não acontece por egoísmo ou ausência de empatia. Muitas vezes, o que falta é um empurrãozinho para que nos envolvamos em projetos sociais para jovens.

Falamos em jovens porque eles normalmente são cheios de energia e boa vontade, mas alguns carecem de incentivo. Por outro lado, há projetos maravilhosos que acabam nem saindo do papel pela dúvida a respeito de sua importância.

O que temos a dizer é: se você, jovem, tem em mente um projeto social ou sente vontade de se engajar em alguma causa, faça isso. Disponibilizar uma parte do seu tempo para dedicar-se a outras pessoas pode parecer pouco, mas, certamente, no final todos saem ganhando.

Hoje em dia, o mercado está aberto a este tipo de iniciativa e existem até mesmo cursos de especialização capazes de ajudá-lo a tirar seu projeto social do papel. Por que não procurar uma instituição para estudar o tema?

Se você ainda tem dúvidas, veja 12 motivos pelos quais participar de um projeto social faz bem tanto para os beneficiados como para quem ajuda:

1. Desenvolvimento de qualidades

Além de aprimorar a habilidade envolvida no trabalho, você ainda ganha mais espírito de liderança, senso de responsabilidade e autoestima. Além disso, conviver de perto com a realidade de algumas pessoas nos faz pensar em valores dos quais nem nos dávamos conta antes.

Assim, perceberá o quanto é privilegiado diante da vida e como é possível usar essa condição para ajudar aqueles que não tiveram a mesma sorte. Isso aumentará a sua gratidão (um sentimento que só atrai coisas boas).

2. Você se sente parte de um todo

Ao desenvolver um projeto social, descobrimos que não podemos simplesmente cruzar os braços e cobrar do governo tudo o que deve ser feito pelas comunidades carentes e minorias. É claro que reivindicar a parte do setor público é importante, mas por que não começarmos a mudança social que desejamos por nós mesmos? Uma ideia sem ação é vã. Coloque em prática o que acredita ser necessário para mudar o mundo e você verá a mudança começar a acontecer.

3. O esporte mostra seu poder de inclusão

Você já pensou em quantas vidas foram mudadas a partir do esporte? Isso porque um projeto social que envolva esporte também engloba a questão do trabalho em equipe e do respeito a regras, fatores que contribuem fortemente para a formação da cidadania.

Além disso, todos são iguais em campo, independentemente do gênero ou da classe. Isso gera uma ideia de inclusão e respeito ao próximo. É claro que todos querem ganhar e ser “o melhor”, mas, com o tempo, cria-se a consciência de que às vezes é necessário ajudar o outro a evoluir também.

Entende-se que a vitória só é válida quando conquistada de forma honesta, sem mentir ou enganar o adversário. Isso tudo sem contar com os benefícios que a prática de esportes traz para a saúde.

É por essas razões que os projetos sociais relacionados a esportes mudam a vida de crianças e jovens de comunidades carentes. Muitas vezes, essa é a única oportunidade que eles têm de entrar em contato com tais valores.

4. Ensino também vale como aprendizado

Já pensou em atuar em algum projeto relacionado a oficinas culturais, artes ou ensino de idiomas? Se você é “bom” em algum desses aspectos, por que não ensiná-lo a outros? Compartilhar o conhecimento exercitará a sua humildade.

Além disso, sua vivência em trabalhos artísticos ou idiomas estrangeiros ajudará pessoas carentes no desenvolvimento de habilidades. Trata-se de criar uma oportunidade para que tais indivíduos ganhem espaço na sociedade, apesar das enormes dificuldades quanto ao acesso à educação que todos sabemos que eles enfrentam.

5. Muitas pessoas já mudaram de vida

Fábio Sleiman, um garoto pobre, encontrou na sua paixão pelo skate uma oportunidade de comunicar-se com o mundo. Por meio da prática do esporte, ele teve a chance de conhecer diferentes pessoas e, com isso, aprendeu a respeitar a diversidade.

Graças ao esporte, ele ganhou o prêmio de 13º melhor skatista do mundo, viajou para o exterior, fez cinema e já está se preparando para lançar a sua grife de tênis. Já Isaquias Queiroz perdeu um rim quando era apenas uma criança. Além disso, já se queimou com água quente e foi sequestrado.

Embora tenha “quase morrido” mais de uma vez, ele não se deixou abater e passou a se dedicar à canoagem de velocidade — que fez dele campeão mundial na modalidade e medalhista olímpico. Quando adolescente, precisava trabalhar na feira para ajudar no sustento da família.

Para ajudá-lo, o treinador fez uma vaquinha e conseguiu uma “bolsa esporte” no valor mensal de 50 reais. E foi assim, com mais tempo para treinar e fazendo “bicos” nas horas vagas, que ele venceu no esporte e na vida.

Assim como os exemplos acima, há muitas histórias de superação a partir do esporte e do trabalho colaborativo de outras pessoas. Já imaginou o que sentem aqueles que receberam auxílio e, também, os que os ajudaram a “chegar lá”?

6. Famosos também já aderiram à causa

Cristiano Ronaldo é um dos famosos que mais faz doações a instituições de caridade e pessoas necessitadas, segundo dados fornecidos pela ONG “Athletes Gone Good”. O craque já ajudou um fã de 10 anos a fazer uma cirurgia no cérebro, financiou um centro de tratamento de câncer em Portugal e ergueu a bandeira da luta contra a fome infantil, dentre outras causas.

Nessa lista de famosos que gostam de ajudar o próximo, o único brasileiro é Neymar, em 5º lugar. A relação também inclui Maria Sharapova e John Cena. Que tal se espelhar nessas pessoas que, ao contrário de muitos que se tornam egoístas com a fama, doam parte de suas conquistas aos mais necessitados?

7. A força do terceiro setor impacta em projetos culturais

Além de contribuir para melhorar a qualidade de vida de diversas pessoas, o terceiro setor tem um papel relevante na economia nacional. De acordo com estudo realizado, em 2015, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esse segmento foi responsável por 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, o que corresponde a aproximadamente 32 bilhões de reais.

Além das fundações, das Organizações Não-Governamentais (ONGs) e dos sindicatos, o terceiro setor é composto pelos negócios sociais. Eles aproveitam os lucros obtidos para aplicá-los no empreendimento com a intenção de proporcionar mais oportunidades e conhecimento para diversas pessoas.

Em Minas Gerais, há vários projetos sociais para jovens na área cultural que precisam do apoio de voluntários. Um bom exemplo é o Pé de Biblioteca que tem como objetivo ajudar na criação e manutenção de bibliotecas comunitárias. As ações visam consolidar espaços para a prática da leitura e atrair os leitores.

O projeto também se destina a reformar bibliotecas e a capacitar pessoas para desenvolverem ações que estimulem o hábito da leitura nas comunidades beneficiadas. Sem dúvida, essa iniciativa é um belo desafio para os voluntários.

Em Belo Horizonte (MG), os jovens podem desenvolver o espírito de cooperação ao participarem do projeto Centro Cultural Lá da Favelinha. Essa atividade busca desenvolver a arte e a leitura por meio da cultura do Hip Hop. Inaugurado em 2015, o espaço é palco de diversas atividades, como aulas de inglês, grupos de dança e oficinas de MCs.

A iniciativa também possui uma biblioteca com mais de 3 mil livros. As publicações são emprestadas para os moradores de forma gratuita. Para conhecer melhor as ações do projeto, você pode acessar a página e ver as fotos e vídeos das apresentações.

Os beneficiados pelo projeto já participaram de shows em universidades e do MECA Inhotim, evento multicultural que tem apresentações musicais, exposições, palestras e workshops. Unir cultura e diversão em um projeto é uma ótima alternativa para fortalecer o interesse pelo trabalho voluntário nos jovens.

8. Apoio a ações que valorizam a preservação do meio ambiente

A questão ambiental merece a atenção de todos os segmentos da sociedade. Um dos motivos é que algumas atividades econômicas causam um grande impacto na natureza e consequentemente nas pessoas. Você pode fazer a sua parte, participando de iniciativas que ajudam a melhorar a qualidade de vida e a respeitar o meio ambiente.

Uma excelente oportunidade de mostrar engajamento com o bem-estar social é contribuir com a Rede de Intercâmbio de Tecnologias Alternativas (REDE), que fica em Belo Horizonte (MG). O projeto oferece suporte para os moradores cultivarem produtos agroecológicos nos quintais das casas.

A medida permite que as famílias tenham uma produção direcionada para a preservação do meio ambiente. O projeto propicia aos beneficiados mais segurança alimentar e a chance de aumentar a renda familiar ao vender os produtos cultivados.

Outro exemplo interessante de projetos sociais para jovens é o Centro Mineiro de Referência em Resíduos, que está sob a gestão da Fundação Estadual do Meio Ambiente (FEAM), em Minas Gerais. A meta é conscientizar os cidadãos sobre as melhores formas de gestão integrada de resíduos.

O programa conta com várias parcerias proporcionando aos municípios mais condições de administrar os resíduos sólidos urbanos de maneira integrada. Há atividades com foco na implantação e no fortalecimento da coleta seletiva. Isso permite gerar emprego e renda para os catadores de materiais recicláveis.

9. Voluntários podem ajudar na capacitação de pessoas para o mercado de trabalho

Muitas pessoas não têm condições financeiras para pagar por um curso de idiomas. Com a globalização da economia, muitas empresas exigem que os funcionários tenham fluência em mais de uma língua.

Com o objetivo de facilitar a inserção de pessoas no mercado de trabalho, a organização Cidadão Pró-Mundo oferece oportunidades para os voluntários darem aulas gratuitas de inglês, no estado de São Paulo.

Atualmente, a instituição conta com 14 unidades e 1000 voluntários (professores e equipe administrativa) para atender a mais de 2000 estudantes. Essa iniciativa é mais caso dos vários projetos sociais para jovens com bons resultados no País.

10. Projetos sociais melhoram o networking

Conhecer novas pessoas é uma maneira de adquirir mais experiência e maturidade. Além disso, proporciona a chance de aumentar a rede de contatos profissionais. É bastante comum trabalhar em um programa de voluntariado com pessoas que optaram pela mesma carreira que você.

Assim, é mais fácil estar bem informado sobre oportunidades no mercado de trabalho e de ser indicado para ocupar uma vaga em uma empresa de renome. Inegavelmente, isso é positivo para aumentar a empregabilidade.

Também é relevante ter contato com colegas de profissão para obter dados sobre as novas tendências e conhecer cursos de capacitação que podem melhorar o seu desempenho. Ao estar mais qualificado, você amplia as chances de ser reconhecido pelo trabalho desenvolvido na carreira.

11. Visão positiva das organizações sobre os projetos sociais para jovens

Diversas corporações valorizam os que participam de projetos sociais. Quando um profissional tem no currículo a experiência em atividades de caráter voluntário, as empresas passam a vê-lo com outros olhos. Isso acontece porque as organizações priorizam as pessoas que sabem trabalhar em equipe e têm condições de conviver de maneira harmônica com as diferenças.

Os funcionários são bem mais produtivos quando estão acompanhados de pessoas com quem possuem um bom relacionamento. Essa postura faz com que as empresas priorizem os colaboradores com participação em projetos de voluntariado.

12. Empatia faz a diferença

O trabalho voluntário faz com que as pessoas tenham uma visão de mundo mais positiva. Ao invés de ficarem bastante irritadas com algum problema, elas passam a ter uma postura mais natural diante das dificuldades.

Dessa forma, o indivíduo se mantém mais calmo e tranquilo. Além disso, se mostra mais aberto ao convívio social Esses fatores permitem o desenvolvimento da empatia, favorecendo uma relação mais harmônica com os familiares, amigos e colegas de trabalho.

Sem dúvida, uma pessoa tem mais chance de desenvolver boas ações no mercado de trabalho e nos demais segmentos sociais ao inspirar confiança nos que estão ao redor. Por isso, a empatia é muito importante.

É fácil perceber que participar de um trabalho como voluntário traz enormes benefícios nos segmentos pessoal e profissional. Ou seja, não faltam motivos para você se envolver com essa atividade.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre o universo dos projetos sociais para jovens? Acredita que fazer a diferença na vida do próximo é o que precisamos para nos tornarmos pessoas melhores? Então, compartilhe este post em suas redes sociais e contribua para o engajamento de seus amigos!

0 Compart.

Michel Leão 0Comentário(s)
0 Compart.

© 2018 Todos os direitos reservados

Chronus Viagens e Turismo
Av Diederichsen, 1100 Conj 22 - Vila Guarani (Z Sul)
São Paulo - SP | CEP: 04310-000
Tel.: (11) 2246-2885 / 5011-0635
E-mail: contato@chronus.tur.br